Não é lenda: o Aedes aegypti , assim como a dengue hemorrágica, é uma ameaça real e parece cada vez mais trazer novas ameaças. Também conhecida como dengue grave, a dengue hemorrágica é uma versão da doença que, em pouco mais de 24 horas, pode até levar à morte.

Para entender quais são os sintomas da dengue hemorrágica, as diferenças para os outros tipos mais comuns de dengue e como se proteger, trouxemos dicas valiosas abaixo.

Siga conosco e confira!

Quais os sintomas da dengue

Antes de entendermos o que é a dengue hemorrágica, é importante nos atentarmos aos tipos mais comuns da dengue.

De maneira geral, o mosquito da dengue é vetor de 4 sorotipos: DEN-1, DEN-2, DEN-3 e DEN-4. Uma pessoa que tenha contraído um desses vírus está imunizado para ele, mas não para os outros.

Além disso, o Aedes aegypti pode portar vírus de outras doenças que desencadearam surtos no Brasil nos últimos anos, como a dengue hemorrágica, Zika e Chikungunya.

Em caso de suspeitas, é importante estar atento aos sintomas da dengue comum, que são:

  • Febre
  • Vômito
  • Enjoo
  • Dores de cabeça
  • Dores musculares
  • Dores ao movimentas os olhos

Ao perceber qualquer um desses, procure imediatamente atendimento médico. Caso seja confirmado o caso de dengue, o tratamento pode ser iniciado imediatamente por meio de hidratação com soro intravenoso.

Quais os sintomas da dengue hemorrágica

É fácil confundir os sintomas da dengue clássica com a dengue hemorrágica, já que eles são semelhantes no começo.

A principal diferença é que, na dengue hemorrágica, a febre diminui ou até mesmo desaparece entre o terceiro e quarto dia, dando lugar a hemorragias de órgãos e pequenos vasos da pele.

Entre os principais sintomas da dengue hemorrágica, estão:

  • Vômitos persistentes
  • Fortes dores abdominais
  • Sangramentos pela boca, gengiva e nariz
  • Pele fria, úmida e pálida
  • Sonolência
  • Manchas vermelhas na pele
  • Confusão mental
  • Queda da pressão arterial
  • Sede excessiva e boca seca
  • Dificuldade em respirar

Além desses sintomas da dengue hemorrágica, a doença pode fazer com que ocorra baixa circulação sanguínea, desencadeando o estado de choque nos pacientes. Os sintomas mais comuns desse quadro, são:

  • Dores abdominais persistentes
  • Mudança brusca na temperatura corporal
  • Suor excessivo
  • Pulso variando entre fraco e rápido
  • Palidez excessiva
  • Perda da consciência

Caso não sejam tratados, os sintomas de choque decorrentes da dengue hemorrágica podem levar o paciente a óbito em até 24 horas.

Como é o diagnóstico da dengue hemorrágica

Em caso de suspeita de dengue, é fundamental não se automedicar. Alguns medicamentos com ácido acetilsalicílico, como a aspirina, são contraindicados por serem anticoagulantes.

O diagnóstico da dengue é realizado com exames de sangue e físico específicos que buscam pelos seguintes sinais:

  • Aumento no tamanho do fígado
  • Pressão baixa
  • Olhos vermelhos
  • Glândulas inchadas
  • Erupções cutâneas
  • Pulsação variando entre fraca e rápida
  • Garganta vermelha

Para atestar definitivamente o quadro de dengue hemorrágica, são solicitados os seguintes exames:

  • Eletrólitos
  • Testes de coagulação
  • Enzimas do fígado
  • Testes de coagulação
  • Testes sorológicos
  • Contagem de plaquetas
  • Ultrassonografia abdominal
  • Raio-X para verificar possíveis alterações na membrana que envolve os pulmões

Como se proteger da dengue hemorrágica

A principal maneira de se proteger da dengue é controlando os focos do Aedes aegypti. O popular mosquito da dengue se prolifera em água parada, em clima tropical ou subtropical – ou seja, com temperaturas médias acima de 16°C.

Para evitar focos, é preciso evitar que garrafas, pneus, vasos e outros recipientes possam acumular água da chuva ou vazamentos.

Além disso, é importante adotar medidas como colocar areias em vasos de plantas, limpar calhas, telar portas e janelas e, em caso de focos próximos, usar repelentes para evitar a presença desse mosquito que voa, no máximo, a 1 metro de altura.

Vale lembrar que os ovos do Aedes aegypti podem sobreviver por até 1 ano até que possam eclodir em condições favoráveis.

E para conferir todas as dicas sobre os sintomas da dengue e como se prevenir do Aedes aegypti, confira nossa campanha especial completa: Dengue não é Lenda!

Deixe seu comentário