Saúde mental no trabalho é um assunto muito importante às empresas. E durante o isolamento social, esse cuidado ficou ainda mais importante. Saiba mais!

Saúde mental no trabalho é um assunto que não é exatamente novo, mas que ganhou ainda mais força desde que o isolamento social foi estabelecido no país.

Segundo a OMS, antes mesmo de a epidemia pela Covid-19 chegar, o Brasil já figurava como o país mais ansioso do mundo e mais depressivo da América Latina.

Como consequência desses altos índices de ansiedade, não só no Brasil, como em todo o mundo, estimava-se um prejuízo global de US$ 1 trilhão – apenas considerando as abstenções.

Após o início do isolamento social, espera-se que esse número cresça ainda mais. Dados divulgados pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), indicaram que os índices de ansiedade mais do que dobraram, enquanto os casos de depressão tiveram o aumento de 80%.

Como consequência, está a necessidade cada vez mais urgente de as empresas cuidarem da saúde mental de seus colaboradores. Caso contrário, o impacto negativo nos negócios poderá ser imediato, o que aumentará o esforço para restabelecer a recuperação econômica quando a pandemia acabar.

Mas será que sua empresa já tem feito isso?

Qual o impacto da saúde mental dos colaboradores para a empresa?

Isolamento social, solidão e preocupação com a saúde, somados ao estresse, excesso de trabalho e pressão por resultados. Em algum momento, isso irá gerar uma sobrecarga que pode colapsar o colaborador.

Estima-se que de 3 trabalhadores brasileiros, 10 sofram com Burnout, que é caracterizado pelo esgotamento físico ou emocional. Não à toa, essa “doença corporativa” foi incluída pela OMS na classificação internacional de doenças.

Como consequência do Burnout, estão o aumento no índice de absenteísmo, sobrecarga nos custos com planos de saúde e problemas no relacionamento interpessoal dos colaboradores. E isso afetará os resultados.

E aqui mora o cuidado na identificação desse problema de saúde mental: dispensar o colaborador está longe de ser uma solução. Afinal, isso pode arranhar a imagem interna e externa da empresa, além de que esse mesmo problema tende a acontecer com outros em outros momentos.

Saiba mais na campanha da D’Or Consultoria que aborda informações sobre os sintomas, o que é e como tratar o Burnout.

Como cuidar da saúde mental no trabalho

Muitos colaboradores têm o receio de procurar ajuda médica quando o assunto é saúde mental. E nesse momento, o papel da empresa faz toda a diferença.

Esse incentivo pode ser realizado por meio de campanhas sobre saúde e bem-estar, incentivando a prática de hábitos saudáveis e, principalmente, oferecendo programas de acompanhamento psicológico.

Essas medidas de gestão de saúde desoneram o plano de saúde e permitem que os colaboradores se sintam ainda mais acolhidos pela empresa sem precisar sair de casa.

Um desses programas é o Cuid@r, oferecido pela D’Or Consultoria e que dá toda atenção ao colaborador onde ele estiver.

Com esse programa, seu colaborador responde um questionário de saúde e pode ser direcionado a serviços como:

Telemedicina: consultas médicas sem sair de casa ou direto do escritório;

Telepsicologia: um pronto-socorro emocional do seu colaborador com direcionamentos assertivos caso a caso;

Nurseline: uma equipe de enfermagem dedicada para atender 24/7, por ligação ou WhatsApp

Radar Covid: todas as informações sobre a volta ao trabalho no escritório de maneira segura e com orientações de quem mais entende do assunto, a D’Or Consultoria do Grupo Rede D’Or São Luiz – a maior rede hospitalar da América Latina.

A saúde mental no trabalho tem papel fundamental para os negócios – principalmente no período de isolamento social. Cuidar dos colaboradores agora é muito importante para estimular o engajamento, reforçar a cultura interna e colher bons frutos depois.

Conheça agora mesmo o Cuid@r. A saúde mental dos seus colaboradores vai agradecer.

Deixe seu comentário