Entender os sinais do câncer de mama é muito importante para buscar o acompanhamento médico quanto antes.

Segundo o Ministério da Saúde, o câncer de mama corresponde a 28% dos casos de câncer em mulheres. Por ser um perigo real às mulheres com mais de 35 anos e com incidência progressiva a partir dos 50 anos, é muito importante entender quais são os sinais do câncer de mama.

O diagnóstico precoce é vital para aumentar as chances de cura, caso a doença seja mesmo identificada. É por meio desse diagnóstico, feito a partir dos sinais do câncer de mama, que o nódulo em estágio inicial pode ser removido com maior segurança e rapidez, acelerando, inclusive, a recuperação da paciente.

E é para entender quais sinais são esses e o que se deve fazer caso os identifique que trouxemos as dicas a seguir. Confira!

Todas as mulheres podem ter câncer de mama?

Sim. Como nossa campanha afirma, o risco é certo, o câncer não. No entanto, esse risco passa a ser maior para mulheres com mais de 40 anos. Casos de câncer de mama em mulheres mais jovens são raros – o que não dispensa o acompanhamento médico periódico com check-ups a cada seis meses.

Quais são os principais fatores de risco do câncer de mama?

Entre os fatores que podem ser decisivos para que os sinais do câncer de mama apareçam, estão:

  • Histórico familiar, principalmente se mãe ou irmã tiveram a doença;
  • Exposição à radiação nos seios antes dos 40 anos;
  • Uso excessivo do álcool;
  • Alto consumo de carne vermelha;
  • Mamas densas;

Manter hábitos saudáveis, como alimentação equilibrada e práticas de atividades físicas regulares é fundamental para diminuir os riscos de ter câncer.

Quais são os sinais do câncer de mama?

O principal sinal do câncer de mama pode ser um nódulo, geralmente indolor, com formação irregular e textura firme. Esse nódulo pode ser benigno ou maligno, e precisa de verificação médica com mastologia quanto antes para analisar se há necessidade da remoção.

Além disso, outros sinais do câncer de mama são:

  • Edema na pele similar a uma casca de laranja;
  • Retração cutânea;
  • Dores no mamilo;
  • Inversão do mamilo;
  • Hiperemia (aumento dos vasos sanguíneos em um determinado local);
  • Descamação ou ulceração no mamilo;
  • Secreção transparente, rosada ou avermelhada, espontânea nas mamas;
  • Nódulos próximos às axilas.

É fundamental que a mulher conheça muito bem seu próprio corpo para perceber o surgimento desses sinais. Vale reforçar que quaisquer mudanças no corpo devem ser investigadas com um médico mastologista.

O acompanhamento preventivo poderá evitar tratamentos mais invasivos, mastectomia e metástase.

Saiba ainda mais sobre o câncer de mama em nosso site completo sobre o assunto. Informe-se e ajude a divulgar a informação. Com essa pequena atitude, você pode ajudar a salvar vidas.

Deixe seu comentário