O Aedes aegypti é o mosquito transmissor da dengue, febre amarela urbana, Zika e Chikungunya. Fique de olho e encontre o Aed!

Até novembro de 2020, quase um milhão de pessoas foram infectadas pela dengue – doença mais comum transmitida pelo Aedes aegypti.

O número é menor do que em 2019, quando foram registrados mais de 1,5 milhões de casos. Ainda assim, a doença pode ser considerada uma epidemia.

Saber quais são as características do Aedes aegypti, quais são os sintomas de suas doenças e o que fazer para encontrá-lo é importantíssimo para reforçar as medidas de prevenção. E é sobre isso que falaremos a seguir.

Confira!

Como é o Aedes aegypti

O mosquito transmissor da dengue é menor do que outros mosquitos comuns e tem como principal características as pintas brancas em seu corpo.

Eles atacam com mais frequência durante o dia e no fim de tarde. Não fazem zunidos e picam, principalmente, a região dos pés e tornozelos. Por terem uma substância anestésica, a picada não coça e passa despercebida pelos humanos.

Apenas as fêmeas do Aedes aegypti atacam. Elas precisam de sangue para amadurecer seus ovos, que são postados em superfícies próximas à água.

Quando os ovos eclodem, levam de 7 a 9 dias para se transformarem em larva, pupa e, por fim, mosquito.

Em média, o Aedes aegypti vive por 30 dias – tempo suficiente para colocar até 200 ovos. São mosquitos que preferem as áreas urbanas devido ao calor e umidade, já que não resistem às temperaturas mais frias.

Quais doenças o Aedes aegypti transmite

São 4 as principais doenças transmitidas pelo Aedes aegypti: dengue, Zika, Chikungunya e febre amarela.

Dengue

Pode ser transmitida em sua versão comum ou hemorrágica – a mais perigosa à saúde humana.

Sintomas da dengue comum: febre alta, dores na articulação e músculos, dores de cabeça e na região dos olhos, coceira na pele, inflamação na garganta e manchas avermelhadas na pele.

Sintomas da dengue hemorrágica: após sentir febre, os sintomas agravam-se e chegam à queda de pressão arterial, aumento do fígado e possíveis hemorragias na gengiva e intestino.

Chikungunya

Essa doença também transmitida pelo Aedes aegypti pode trazer grandes complicações a longo prazo, como inflamações nas articulações e até mesmo limitações nos movimentos.

Sintomas do Chikungunya: febre alta, dor de cabeça, dores nos músculos, calafrios, vômitos, náuseas e conjuntivite. Semelhante à dengue, o vírus Chikungunya traz dores mais persistentes nas articulações, podendo perdurar por meses.

Zika

É uma doença associada à microcefalia e desenvolvimento da síndrome de Guillain-Barré, além de outras complicações neurológicas. Por isso, é importante ter atenção especial para possíveis focos de Aedes aegypti próximos às grávidas.

Sintomas da Zika: febre baixa, dor de cabeça, conjuntivite, diarreia, vômitos, dor abdominal e inflamações nas articulações.

Identificar os sintomas no estágio inicial da doença e buscar por ajuda médica fará toda a diferença para curar rapidamente as doenças e evitar possíveis sequelas.

Onde o mosquito da dengue se esconde?

O mosquito prefere locais quentes e úmidos, como regiões com matos ou terrenos com entulhos. Mas é possível que o Aedes aegypti bote seus ovos também em pequenos recipientes limpos.

Quando esses recipientes permitem o acúmulo de água, mesmo que em pequena quantidade, tornam-se os ambientes ideias para a eclosão dos ovos.

Tampinhas, latas, garrafas, pneus, caixas, telhas, calhas e outros, são alguns dos objetos preferidos para o Aedes aegypti se esconder.

Ainda que seja época de poucas chuvas, é preciso redobrar a atenção com esses objetos, já que os ovos podem resistir até 400 dias sem contato com água.

Encontrar o Aedes pode ser mais fácil do que parece. Afinal, o mosquito mora no vacilo. E o nosso desafio é fazer você encontrar todos os vacilos que podem ser foco da dengue.

Clique aqui e encontre o Aed!

E lembre-se: quando ele faz a festa, é você que fica mal.

Deixe seu comentário